(11) 4200-8045 / (11) 96996-6768 Rua Gen. Jardim, 846, 4° andar - Higienopólis – São Paulo/SP

RETARDO DE CONSOLIDAÇÃO

Atendimento é Essencial

Um bom atendimento na ocorrência de uma fratura é essencial para que se garanta a melhor recuperação. Quando um profissional falha na sua intervenção, o processo de consolidação desdobra em possíveis problemas como o retardo de consolidação.

Fatores e Hábitos

Além disso, existem fatores da nossa saúde e hábitos que podem colaborar para um retardo de consolidação ou, no caminho contrário, contribuir para uma melhor e mais rápida recuperação.

Vamos entender como o retardo de consolidação ocorre, do que se trata, quais fatores corroboram para que aconteça e quais medidas devem ser tomadas para tratar uma fratura complexa como essa.

pseudoartrose-e-retardo-de-consolidação

O QUE É?

O retardo de consolidação ou não-união dos fragmentos ósseos é o nome dado ao atraso no processo de colagem do osso após uma fratura. Nesses casos, a pessoa tem dificuldade de flexoextensão, sente dores na região da fratura, fraqueza e ocorrer edemas.

Confusão

Embora haja uma confusão para delimitar até que ponto deve-se chamar pseudoartrose ou retardo de consolidação, a grosso modo a diferença está em que o primeiro refere-se à uma ausência de colagem e o segundo apenas ao atraso.

COMO OCORRE?

Quando ocorre um fraturamento, os meios para que haja consolidação do calo ósseo, ou seja, para que os fragmentos se colem novamente, são dois: ou processo natural ou por uma consolidação primária.
O processo natural se refere a forma como o corpo forma calo ósseo para recuperação de uma fratura. Assim que ocorre o rompimento, há um sangramento na região que vai se transformando ao longo dos dias em uma cartilagem cálcica, formando o calo ósseo responsável pela colagem dos fragmentos.

Consolidação Primária

Enquanto isso, a consolidação primária é o processo interventivo médico para a consolidação da fratura, por meio da compressão dos fragmentos um contra o outro – nos casos em que é possível.

Recuperação

Embora seja comum que a recuperação se dê entre semanas ou até cinco meses, a depender do osso que foi fraturado, da idade do paciente, de fatores de sua saúde e etc, podemos dizer que a maioria das pessoas está totalmente recuperada em torno de três meses. Se, no entanto, a fratura demora muito mais tempo que o normal para se consolidar, o nome que se dá para este problema é “retardo de consolidação”.

PSEUDOARTROSE

Se o médico observa, após uma progressão de uns cinco raio-x ao longo do processo, que os fragmentos não estão se consolidando de nenhuma forma, não se trata de apenas um retardo de consolidação, mas de uma pseudoartrose. Os cuidados exigidos são diferentes e demandam outro tratamento, por isso procure um especialista.

FATORES QUE CONTRIBUEM

Um dos principais fatores que causam um retardo de consolidação, é uma intervenção médica inadequada. Por isso é importantíssimo que se recorra a profissionais competentes para cuidar da nossa saúde. Outro motivo mais comum é a demora do diagnóstico, especialmente por não procurar um especialista na decorrência da fratura.

Outros Fatores

No entanto, existem outros fatores, especialmente referentes à nossa saúde, que podem corroborar para um atraso na recuperação. São eles: má circulação sangúinea, tabagismo, instabilidade na área da fratura, diabetes, a idade avançada, osteoporose, deficiência de vitaminas, sifilis e afins.

Na ocorrência de uma fratura, uma boa alimentação, no caminho contrário, pode contribuir para uma mais rápida recuperação. O consumo de leite e proteínas como carne, ovo, peixe e afins, são bons exemplos.

TRATAMENTO

Para o tratamento do retardo de consolidação, há uma nova terapia chamada extracorpórea. Ela é feita por meio de ondas de choque. É recomendável a aplicação de uma à três sessões, contado com intervalos para avaliação.

Alta Densidade

Nesse tratamento, a energia mais adequada para a patologia é de alta densidade. A aplicação vai de trinta e cindo mil à quarenta mil ondas de choque a cada sessão.

Enxerto Ósseo

Uma intervenção mais comum e danosa é o enxerto ósseo, onde um fragmento é retirado de outra parte do corpo alternativa à fratura – comumente as cristas ilíacas – e colada no local da fratura que não estava colando.

Desconforto

Os procedimentos podem trazer sim um certo desconforto como é comum a toda cirurgia. No caso do enxerto, a parte enxertada pode sofrer uma meralgia parestética – espécie de dormência e falta de sensibilidade.

Prejuízos do não tratamento

No entanto, os prejuízos do não tratamento são acertadamente muito agravantes. Em caso de suspeita de retardo de consolidação e pseudoartrose, deve-se consultar um bom especialista em quadril, pois só eles podem fazer diagnóstico e orientar o melhor tratamento.

Fale com nossa equipe!

Desenvolvido por Rush Consultoria

> Artroplastias > Tratamento e Cirurgias > Retardo de Consolidação

Artroplastias