(11) 4200-8045 / (11) 96996-6768 Rua Gen. Jardim, 846, 4° andar - Higienopólis – São Paulo/SP

CIRURGIA DE SÍNDROME DO IMPACTO POSTERIOR NO TORNOZELO

Cirurgia Tornozelo

No dia a dia dos consultórios de reumatologia é comum a queixa relativa à dores na região do tornozelo pelos pacientes. O problema é que também é comum que o diagnóstico de síndrome do impacto posterior do tornozelo seja raramente lembrado dentro dessa rotina, o que pode prejudicar o tratamento eficaz do paciente (clínico ou cirurgia tornozelo). 

 

Para compreender mais sobre a síndrome do impacto posterior no tornozelo acompanhe nosso texto e entenda mais sobre suas características e tratamento. 

cirurgia-tornozelo

EXEMPLOS DE DIAGNÓSTICO

Agora veremos dois casos fictícios para exemplificar o diagnóstico de síndrome do impacto posterior no tornozelo. Os diagnósticos foram feitos depois da devida avaliação clínica e radiológica do paciente. Dessa forma foi definido o problema,  direcionando o tratamento ideal (pode ser cirurgia tornozelo) para conseguir a melhora do paciente.  

 

Tudo isso sempre de forma a levar em conta o histórico clínico e ocupacional do paciente para informar o diagnóstico. 

 

  • 1º caso – dor na face plantar do calcanhar 

 

Durante o exame foi constatado que a dor do paciente aparecia quando ele flexionava o pé esquerdo. Com o exame de Ressonância Magnética ficou evidenciada a presença de ossículo trigonal acessório associado à artropatia subtalar posterior e processo inflamatório adjacente. 

 

  • 2º caso – dor nos calcanhares e face posterior dos tornozelos 

 

Uma paciente se queixava de dores nos calcanhares e na face posterior dos tornozelos, com maior intensidade no direito. A dor já perdurava por 2 anos e aumentava de intensidade quando ela permanecia de pé por longos períodos. 

 

Durante o exame foi constatado que a paciente sentia dores durante a flexão forçada dos pés. Ao realizar-se o raio-x da região observou-se a presença de os trigonum (um ossículo na região). 

COMO SURGE?

O aparecimento da síndrome do impacto posterior acontece quando, entre o complexo posterior do calcâneo e a tíbia posterior, há a compressão dos tecidos moles durante a flexão plantar do tornozelo. 

 

Dentre as causas possíveis podem estar: o processo posterolateral do tálus (Stieda), ou a presença do os trigonum, por causa do impacto com as estruturas adjacentes. 

 

Cerca de 15% das pessoas tem o os trigonum em seus pés. O os trigonum é um centro de ossificação secundário no aspecto posterolateral do tálus.  

 

Dentre os fatores que causam a dor nessa região do tornozelo durante a flexão plantar forçada, está a fratura do processo trigonal. 

 

Se esse estresse acontecer de forma repetitiva, a fratura crônica também pode ocorrer. Outro problema é que existe a chance de o os trigonum ser sintomático mesmo quando ele fica intacto durante a flexão plantar externa. 

DIAGNÓSTICO

O foco do diagnóstico é identificar a incapacidade do paciente na realização de atividades em flexão plantar do tornozelo, por exemplo, o apoio na ponta dos pés e o chute. Nesse sentido o diagnóstico começa com a história clínica e exame físico dos pacientes. 

TRATAMENTO CIRÚRGICO

Quando a situação exige tratamento cirúrgico, costumam ser casos de: lesão osteocondral, necessidade de reparo em estruturas neurovasculares, ou fratura do processo trigonal. 

 

A realização do procedimento cirúrgico (cirurgia tornozelo) se inicia com uma incisão aberta posteromedial ou posterolateral. A taxa de sucesso alcançada é de cerca de 75%, levando de 3 a 5 meses para o retorno às atividades. No caso da utilização de técnica artroscópica, há a redução da taxa de complicação, com retorno mais precoce às atividades. 

 

Trouxemos esse texto até você para auxiliar na compreensão do tratamento cirúrgico da síndrome do impacto posterior no tornozelo – cirurgia tornozelo. Procure seu ortopedista para informação especializada.  

 

> Artroplastias > Tratamento e Cirurgias > Cirurgia de síndrome do impacto posterior no tornozelo

Artroplastias